A vida como ela gostaria que fosse

Ivone Wosgraus na juventude, capa do livro em foto do também saudoso Paulo Dutra

Ivone Wosgraus na juventude, capa do livro em foto do também saudoso Paulo Dutra

A vida deveria ser ao contrário. Nascer velho com toda sabedoria, brotando diretamente da terra, poeira de estrelas que germinam. Depois ir revertendo o tempo, dando uma boa estacionada no auge da juventude com direito à reprise dos melhores momentos e ir seguindo marcha ré vagarosamente até ficar um bebezinho bobo e desaparecer indo direto para o céu feito anjinho.

Ivone Ferraz Wosgraus

(07/07/1928 – 11/12/2014)

Trecho do livro autobiográfico de minha mãe, Ivone, “Lágrima no Olho D´água”, lançado em abril de 2012, pela Editora Lunardelli.

A obra foi escrita de trás pra frente, como minha mãe preferia que a vida fosse. Aqui não cometo sacrilégio, mas vou inverter a ordem publicando na sequência, em dias alternados, alguns capítulos apenas do livro, mas começando pelo fim, que também é o começo da obra e saga dessa linda guerreira que agora é um anjinho.

Minha avó Júlia, minha mãe, ivone e eu no meu batizado - todas na contracapa do livro

Minha avó Júlia, minha mãe, ivone e eu no meu batizado – todas na contracapa do livro

Comentários finalizados.